Organize as suas finanças de forma simples e rápido, e tenha Sucesso.



Hoje eu vou compartilhar uma matéria, muito interessante, que eu li no site do SEBRAE.


Proteja seu caixa em tempos de crise.


Em um cenário de crise em que o empresário enfrenta diminuição de movimento de clientes, queda no faturamento, redução nas vendas e boletos chegando o tempo todo, ter controle das suas finanças e proteger o caixa da empresa é fundamental.

Não dá para ter descontrole e sair gastando sem critério. O momento é de colocar o pé no chão, analisar com cuidado a situação financeira do seu negócio e tomar decisões acertadas, com base em informações reais.

É essencial a criação de um plano de contas, em que serão ordenados os registros de entradas e saídas futuras e posteriormente a identificação da origem e do destino do dinheiro da empresa, podendo traçar ações para a proteção do caixa.

Contudo, as empresas precisam estar atentas para não cortar custos/despesas que são sensíveis ao negócio, reduzir custos que afetam a qualidade do serviço, demitir funcionários qualificados. Reavalie todas as despesas fixas, veja onde há desperdícios ou há real necessidade.

Para facilitar a organização e proteção de caixa, o Sebrae fez uma lista de ações para ajudar você a trilhar uma solução para seu negócio.


Algumas ações para ajudar empresas que estão em dificuldades financeiras.


1 - Controle os gastos da empresa: O primeiro passo é realizar o controle dos gastos da empresa, colocando tudo no papel e fazendo uma análise minuciosa.

Verifique a possibilidade de corte de alguns gastos não necessários nesse período ou que poderão ser reduzidos, como assinatura de TV, diminuição de consumo de energia, de consumo da água, troca de plano de celular e diminuição da retirada atual. Visualize a movimentação bancária da sua empresa, para saber a real necessidade de serviços bancários, e economizar. Sempre que não se conhece essa demanda, criam-se despesas bancárias dispensáveis.


2 - Faça o levantamento de todos os recebimentos previstos: Avalie também quais são as receitas que ainda estão para entrar, organizando essas entradas por meio de pagamento: cartões, pagamentos parcelados, cheques pré-datados, dinheiro etc. Faça uma previsão de possíveis vendas, mas não esqueça de considerar eventuais inadimplências e possíveis renegociações.


3 - Avalie quais entradas de recursos poderiam ser antecipadas: Caso tenha algum recebimento de cartão ou mesmo algum parcelamento de cliente que possa ser negociado e antecipado para cobrir os compromissos atuais, este é o momento. Não esqueça de cons